Depressão: Seis passos para dela libertar-se…

A depressão é uma perturbação mental que tem aumentado nos últimos anos em Portugal. Em 2014, a depressão afetava um quarto da população portuguesa com 15 ou mais anos. Mulheres e os reformados (36,5%) são quem mais sofre de sintomas desta patologia, segundo o Inquérito Nacional de Saúde divulgado pelo INE.

Portugal tem das maiores taxas de consumo de benzodiazepinas (ansiolíticos) da União Europeia e, simultaneamente, das maiores taxas de consumo de bebidas alcoólicas em todo o mundo. Considera-se que podem existir alguns fatores culturais que tornem os portugueses mais vulneráveis ao sofrimento, no entanto, esta hipótese carece de um estudo aprofundado.

A depressão é uma problemática que tem aumentado nos países mais desenvolvidos, em que a exigência do mundo laboral com vista a um aumento da produção, a competitividade escolar e profissional, assim como repressões económicas, levam à existência de maiores casos desta patologia, assim como ao aumento de consumo de álcool.

A ajuda de familiares e amigos é fundamental, assim como uma aceitação por parte da pessoa afetada da necessidade de mudança e de ter uma atitude proativa para fazer face à depressão.

depressao - 2017

Eis, seis passos para aumentar o interesse pela vida e combater a depressão:

– Nas suas atividades diárias estabeleça objetivos, como ir comprar o jornal, tomar um café numa esplanada com um amigo, praticar exercício físico ou ler um livro.

– Formule um programa diário simples, mas completo, contendo atividades para a manhã, a tarde e o anoitecer.

– Faça uma lista das atividades que facilmente pode fazer, em áreas que tem interesse. Como exemplo: fazer voluntariado numa associação de animais. Colaborar num projeto de ajuda a carenciados. Fazer um workshop de alimentação saudável ou de fotografia, entre outros dentro das atividades que não carecem de excesso de esforço, que permite a convivência e que sejam de acordo com os seus gostos pessoais.

– Concentre-se no presente, não faça comparações com o seu desempenho no passado. Aprenda a apreciar o seu desempenho na atualidade e procure melhorar ainda mais o que já faz bem.

– Não tenha pressa na realização de tarefas. Como exemplo temos a limpeza da casa ou até acabar uma tese de mestrado. Divida a tarefa em parcelas, distenda-a no tempo, para que consiga terminá-la e faça por cumprir cada passo estipulado.

– Recompense-se por cada sucesso obtido. Lembre-se que este esforço para a mudança do seu estado psicológico, deve-se em grande parte à sua vontade em melhorar, por isso aprecie o seu próprio esforço.

Em Portugal ainda são muitas as pessoas que mesmo apresentando sintomas de depressão não recorrem a tratamento médico e psicológico. Lembre-se que para ultrapassar esta fase mais difícil da sua vida, é preciso em primeiro lugar querer mudar e como em alturas como esta, mudar sozinho torna-se complicado é preciso recorrer a ajuda de terceiros.

Muitas vezes é necessário medicação para alívio dos sintomas e psicoterapia para aprender maneiras mais eficazes de lidar com os problemas da vida.

Você não está sozinho!