Talento – Sorte ou persistência?

Muitas vezes quando vemos alguém ter sucesso, vem à nossa mente quase de imediato que essa pessoa foi bafejada pela sorte, ou que é um ser especial dotado de um talento inato. Será?

O Dr. Daniel Levitin foi o investigador que esteve por trás do conhecido estudo sobre a prática necessária para alcançar o estatuto de melhor do mundo em qualquer área. O Dr. Levitin referiu o seguinte:

(…) são necessárias dez mil horas de treino para alcançar o nível de mestria associado a ser um dos melhores do mundo – em qualquer coisa. Estudo após estudo, sobre compositores, basquetebolistas, escritores de ficção, patinadores no gelo, pianistas, jogadores de xadrez, mestres do crime, entre muitas outras coisas, o número repete-se. Dez mil horas é o equivalente a cerca de três horas diárias, ou vinte horas semanais, de treino ao longo de dez anos… O cérebro parece precisar de todo este tempo para assimilar tudo o que precisa de saber para alcançar a verdadeira mestria.

Persistência! É esta a receita “magica” para o sucesso. Tentar só algumas vezes não basta. Muitas vezes julgamos que é falta de competência, no entanto trata-se de falta de treino. Esta prática concentrada vai permitir adaptar-se e aprender. O esforço compensa!

Patrícia Moreira